Sejam bem vindos!
Home » » A obesidade na mulher

A obesidade na mulher

                                                           


Nos dias de hoje, as mulheres adquiriram várias funções: trabalhar fora, cuidar da casa, marido, filhos .......além de tudo tem que estar sempre linda e cuidar da saúde. Mas nem sempre conseguimos dar conta de tudo, e um dos riscos é o ganho de peso em excesso.
A obesidade na mulher tem sido muito estudada e preocupante, não só pela estética mas também pelas doenças associadas como diabetes, hipertensão, diminuição da fertilidade, interferência no curso da gestação e aumento do risco de morte para a gestante e o feto. 

Porém, é importante identificar como a gordura corporal está distribuída no corpo.  Ela pode estar concentrada na região abdominal, caracterizada como obesidade tipo andróide, central ou em forma de maçã, mais freqüente, porém não é exclusiva nos homens e está associada a risco de doenças cardiovasculares e metabólicas; ou na região dos quadris, chamada de obesidade tipo ginóide, periférica ou em forma de pêra, freqüente no sexo feminino, mas também não é exclusiva delas. Esse tipo de obesidade apresenta correlação com problemas vasculares periféricos (varizes, trombose) ortopédicos e estéticos.
A alimentação é uma importante aliada na prevenção e tratamento da obesidade. A maior parte dos tratamentos dietéticos envolve redução da ingestão de energia. Apesar de parecer simples aderir a uma restrição de calorias, na prática não é tão simples mudar de hábitos, principalmente a manutenção em longo prazo.
Evitar o consumo de “calorias vazias”, ou seja, que não contém nutrientes, diminuir a ingestão de gorduras saturadas, priorizar o consumo de fibras, grãos integrais, carnes magras, frutas, legumes e verduras, aumentar o consumo de água diariamente são hábitos que auxiliam na prevenção da obesidade.
A atividade física não programada e o exercício (atividade física programada) são recomendados como uma estratégia importante para prevenção da obesidade e também como um método efetivo associado ao tratamento.
Vários estudos epidemiológicos indicam que um nível elevado de atividade física protege contra ganho de peso e obesidade. O exercício de resistência (musculação) ajuda a preservar a massa livre de gordura (massa muscular) durante a dieta hipocalórica, favorecendo a perda e manutenção do peso de forma saudável.
Procure sempre profissionais capacitados para identificar a melhor conduta a ser seguida e obter resultados verdadeiros, lembre- se que a prevenção é fundamental.
Beijos e até a próxima!

SHARE

0 comentários :

Postar um comentário